7/17/2008

A concretude do existir

Viver embriagado pelo ar não foi uma escolha. Quando percebi já estava embevecido pela vida. Para quem lê os textos deste blog deve ser perguntar: como pode? É a pura contradição!

Descobri, a duras penas, que o conflito existencial é um afago para aqueles que estão em movimento. Afago comumente transformado em dor.

Esta é a chave e o grande desafio do depois: transmutar sentimentos deletérios em plenitude e evolução. Um caminho a ser trilhado. Onde será que estão as chaves deste segredo, velado pelos véus da ignorância?

Não há atalhos que dão acesso ao Infinito!?

Foto

8 comentários:

disse...

Eu te agradeço pela visita.

E saio encantada com tuas palavras e imagens escolhidas.

Beijos meus.

Fada do Amor disse...

Não minha amiga, julgo que não há atalhos que levem directamente ao infinito. Pela frente por norma só temos caminhos longos e tortuosos que muitas vezes não nos levam a lado nenhum.

disse...

Esse povo encantador que escreve dói na gente... Teu blog é ótimo, moço! Gosto do modo interessante de não se identificar.

Agradecida pela visita.

Cheiro doce.

Ela disse...

Agradecer a visita e dizer que adorei teu espaço e a forma que tu escreves.

O infinito? Se tem atalhos? Depende muito do que é o infinito pra ti...

Deva_neios disse...

Má, obrigado pelo encanto, que é seu por natureza.
Ká, sua identificação está em nossa proximidade vibratória.
Ela, os atalhos são infinitos e esse não é mensurável. É algo que não está próximo da nossa compreensão. A Fada, por ser um elemental e possuidora da maior das magias, confirmou o que intuo. Obrigado pelos comentários.

Alfa disse...

Estou impressionada com o seu blog! De alta qualidade, rapaz! Vc está de parabéns!!! Adorei as fotos e os textos. Voltei para casa ouvindo Lulu Santos, então, lembre-se: tudo passa tudo sempre passará.
Se cuida!!!
bjks,
Alfa

F. S. Júnior disse...

se existissem, talvez o infinito teria um sabor áspero de tédio...

Di disse...

Concordo em parte com o que o Júnior disse, mas discordo que o tédio tenha um sabor áspero, o pior do tédio é que é insípido.

A vida é agridoce por causa da nossa ignorância sobre o infinito, e se assim não fosse acho que ficaria rapidamente insípida.
besitos!

P.S.: Tô orgulhosa com sua dedicação ao blog! ;o)